Não relacionamento compatível

Monogâmico por opção ou imposição cultural?

2020.09.22 13:58 ygormagalhaes Monogâmico por opção ou imposição cultural?

Esse post é parte desabafo, parte questionamento.
Vocês são monogâmicos por opção, tendo pensado a respeito de forma crítica e analítica ou são (ou fingem que são) somente por imposição do que foi culturalmente construído no decorrer de suas vidas e dos seus antepassados?
Eu não entendo como alguém pode ter sua vida controlada por algo que dizem ser o mais certo para VOCÊ.
Já perdi amizades porque percebi que os namorados dessas amizades não achavam correto manter contato comigo. Não sei o que acho pior, essa construção escrota de achar que um contato deve ou não acontecer ou se submeter ao controle alheio.
Sei que não é algo tão falado, muito menos incentivado. Mas até quando a maior parte das pessoas vai viver numa mentira? 99% das pessoas que conheço e estão num relacionamento falam no mínimo sobre vontade de ter relações extra conjugais (e desses 99%, provavelmente 50% já experimentaram essas relações fora de seus namoros, casamentos, seja lá o que for).
Por que perpetuar um estilo de vida que já não é mais compatível com nossa sociedade? Vivemos em um mundo fragmentado, temos informações suficientes para deixar de viver de forma passiva sem questionar o status quo de cada uma dessas coisas que nós sabemos (e não queremos admitir) que nos incomoda.
Acabei de ver que fui bloqueado por uma amiga porque não deveria ter mandado mensagem na hora X e o namorado viu. Quanta babaquice.
E sim, eu namoro e vivo num relacionamento de verdades e diálogos. Não digo isso sendo um hipócrita sem conhecimento de causa.
Abraços. Um ótimo dia para todos vocês.
submitted by ygormagalhaes to desabafos [link] [comments]


2020.06.07 06:21 SweetBarbecue Talvez não seja o sub correto, mas...

...eu não conheço nenhum outro sub para postar esse texto.
Você se entrega por completo a alguém, e do dia para noite, coloca todos os seus sentimentos em questionamento, não enxerga sentido em nada, tenta ignorar essa sensação mas não consegue. Habita dentro de ti, um peso, mas ao mesmo tempo uma leveza, cada uma em uma direção e então você deixa de questionar os sentimentos e passa a questionar a sua mente.
Até que ponto conviver com isso irá me prejudicar? Será possível esquecer isso? Ou pelo menos diminuir a sensação de sentir isso, a cada segundo que passa, é um fragmento da minha vida que deixo de aproveitar, por estar demasiadamente apegado ao passado, às vezes ao futuro. Você pisca e aquele alguém já não está ao seu lado, você o magoou sem ao menos ter certeza de que realmente queria isso e você se encontra mais perdido, busca refúgio em pessoas que antes soava confortáveis, mas que agora só deram suas faces, pessoas que não se importam com você, não querem o seu bem, seus transtornos cada vez mais expressivos, a máscara da normalidade já não é mais compatível com o seu molde.
O que me resta agora? Viver com a dor, o sofrimento e aceitar, que aquele clichê ´´Nascemos sozinho e iremos morrer sozinhos``, também se aplica ao intervalo entre esses dois fatos, logo, nós também vivemos sozinhos. Talvez não por escolha, mas por algo maior, a sua saúde, evitando se entregar, mesmo que em partes, para outras pessoas, em diferentes níveis de relacionamento, indo do ódio ao amor.



PS: sei que é um sub voltado para poemas, mas não tenho habilidade suficiente para escrever um poema e não conheço outro sub para postar, desde já peço desculpas!
submitted by SweetBarbecue to Poemas [link] [comments]


2020.05.31 02:16 Average_simian Como vocês lidam com a perspectiva de nunca conseguir encontrar o amor?

Sou um homem de 24 anos e me considero uma pessoa emocionalmente madura. Material e profissionalmente sigo melhorando gradualmente, mas ainda tenho um longo caminho pela frente. Em 2018 conclui minha graduação em História, mas a escolha não se mostrou muito promissora. Atualmente estou me organizando para uma nova graduação em uma área que possa proporcionar maior estabilidade e onde eu trabalhe menos. Tenho meus hobbies, bons amigos e saúde. Em suma, levo uma vida relativamente boa, tirando um ou outro problema que aflige qualquer ser humano, mas sempre dou um jeito de contornar e seguir em frente. Só tem uma coisa que realmente me incomoda e têm ocupado boa parte das minha reflexões recentes: a vontade que tenho de ter um parceiro romântico.

Já tive alguns webnamoros quando era mais jovem, mas devido a distancia e falta de maturidade na época, eles não levaram a nada. Na época de escola fiquei com algumas poucas meninas e tive meus amores platônicos, mas também nunca deu em nada. Só em 2014 que fui ter meu primeiro relacionamento sério e que durou pouco mais de um ano. Foi um relacionamento difícil e que fez com que eu amadurecesse muito. Ela era uma pessoa que tinha muita dificuldade de demonstrar afeto, e eu ficava cobrando atenção. Esta dinâmica dela ficar fugindo e eu ficar cobrando acabou ficando insustentável e ela resolveu terminar. No primeiro ano do término eu sofri muito e culpei ela pelo fracasso de nossa relação, mas com o tempo fui assimilando que nossas diferenças eram inconciliáveis, e que seria impossível e errado querer mudar o jeito dela de ser. Ela era ausente não só comigo, mas com todo mundo. E eu precisei reconhecer que gosto de parceiros românticos que são mais carinhosos e sensíveis.

Depois deste namoro me relacionei com outras garotas, e cheguei bem próximo de namorar duas delas. A primeira era uma amiga de longa data que conheci pela internet, e morava não tão longe de mim. Durante alguns meses a gente conversou muito e passei alguns dias na casa dela e ela alguns dias na minha. A gente se deu muito bem, e o fator de nossa amizade de longa data acabou fortalecendo ainda mais nosso laço. No horizonte eu via a possibilidade dela vir fazer a faculdade dela na minha cidade. O único porém é que ela ainda tinha assuntos mal resolvidos com o ex dela. Não demorou muito para eu perceber que ela estava dividida entre nós dois, e nesta balança o coração dela pesava muito mais pro lado do outro rapaz. Me retirei pra evitar de me magoar, mas até hoje somos bons amigos.

A segunda garota com quem eu poderia ter tido uma relação foi apresentada por meio de amigos em comum, e ela demonstrou interesse por mim depois de algumas vezes que a gente se encontrou. Ficamos por algumas semanas e logo eu joguei um balde de água fria entre nós. Por mais que ela fosse legal e tivéssemos muitas coisas em comum, eu não conseguia sentir atração física por ela. Até tentei contornar a situação, mas ficou evidente que não ia dar certo. Ainda não sei dizer o quão problemático é deixar a aparência ofuscar uma personalidade que gostei tanto. Mas tendo a pensar que é normal, cada ser humano tem suas preferencias. Não acho certo me manter em uma relação onde não consigo sentir prazer físico com a pessoa.

Enfim, contei toda esta história para poder ilustrar como acho difícil encontrar um parceiro romântico com quem eu realmente combine e dê certo. Já tive relação com alguém que não tinha a personalidade compatível comigo, com gente que combinava, mas já havia encontrado o amor em outro, e com uma pessoa que se encaixava em quase todos os aspectos, só que fisicamente não houve "química". Por mais que minha vida esteja encaminhada em outros campos, sinto que romanticamente eu nunca consiga avançar. Talvez eu nunca vá encontrar alguém para construir uma vida ao meu lado. Sinto que muita gente entra em relacionamentos por carência, e a relação acaba trazendo só dor em ambos. Também vejo gente que encontra sua "alma gêmea", e mesmo aos trancos e barrancos consegue ser feliz. Acredito que encontrar alguém que realmente combine e dê certo contigo seja pura questão de sorte, e que nem todo mundo vai ser feliz no amor.

Evidente que vou manter o coração aberto para novas oportunidades, mas a ideia de que nunca vou encontrar alguém já não me assombra mais. Como diria o saudoso Zé Ramalho: "Quem tem amor na vida, tem sorte". O que pensam sobre o assunto? Como vocês encaram a possibilidade de nunca encontrar o amor?
submitted by Average_simian to desabafos [link] [comments]


2020.05.21 08:34 ruivadino SINAIS...

Oi pra todos não sei se alguém vai ver mas se ver, espero que se divirta ahusha (sou gaúcha leiam com sotaque tchê) Então eu tava solteira fazia poucos meses e tinha alugado um kitnet, tava curtindo depois de 3 anos de relacionamento abusivo e que destruiu minha autoestima além da minha saúde mental, resolvi baixar o Tinder para conhecer nao apenas pessoas para ter um lance mas quem sabe achar amigos, perfis fakes engraçados e etc... Eis que dou match com um cara aparentemente bonito, bem apessoado, interesses em mangas, animes e etc trocamos algumas mensagens pelo Tinder e partimos para o whatsapp... Na época eu não tinha emprego e estava recebendo dinheiro referente a um processo trabalhista então ficava em casa o dia todo e na maior parte do tempo via anime e dormia (Isso vai ser relevante). Após trocar algumas mensagens notei que ele não era tão compatível e o interesse diminuiu mas não passou então resolvi continuar... Ele: oiii Eu: oiê Ele: fazendo? Ele:oiii Ele: responde Eu: (duas horas dps) oie tava dormindo desculpa Ele: que demora hein, mas blz Ele: vai fazer oq hj? Eu: vou ir na casa de um amigo e tu? Ele: amigo homem? 🙄 Eu: sim pq? Ele: nada não 👍 tomara que tu se divirta bastante 😭😟 Eu: tá bom obg Fui, me diverti? Não kkkk outra história... Cheguei em casa e fui dormir, no outro dia ele manda msg Ele: oii Eu: eae Ele: que vai fazer hj? Eu: nada e tu? Ele: nada tbm posso ir aí? A gente come um dog vê filme que tu acha? Eu tava morrendo de fome confesso, aceitei ainda existia um leve interesse, eis que chega o dito cujo que aparentemente era dez vezes mais magro que nas fotos, mais esquisito e mais baixo (nada contra apenas levei um choque pq era tipo outra pessoa) tá blz RELEVEI... Meu interesse caiu pra zero mas já tinha convidado né, compramos o dog (ele recomendou o lugar nota 10) o dog chegou frio e nem foi prensado, mas comi pq tava com fome... Sentamos na cama e coloquei um filme para vermos eis que ele tenta me beijar... Blz até tentei (pior decisão quase me engoliu e quase arrancou minha boca com os dentes além de babar em mim) continuamos vendo o filme e ele começou a me alisar (eu tava com raiva já porém eram 3h e não tinha bus ele morava meio longe então fiquei com pena de mandar embora) então tive a brilhante ideia 💡 fingi que tava dormindo, não deu certo pq ele ficava se esfregando e tentando me "acordar" e eu "dormindo" HORAS SE PASSARIAM ATE QUE EU CONSEGUISSE DORMIR REALMENTE... Acordei e tomei banho e ele acordou um pouco depois, "tu dorme feito pedra né kkkk" respondi "sim haha eu durmo e só acordo no outro dia" oq é mentira pq qualquer barulho me acorda, fui comer um Cup Noodles esperando ele se arrumar para ir embora porém eu fui a única que pensou que ele devia ir embora ele tentou outras vezes me beijar eu saí na cara dura evitei contato e disse "tá tarde né?" Mas nada ele falou "vem cá vamos aproveitar o dia" eu falei "olha, nada contra tu é um guri legal e tudo mais porém não tô muito nesse clima e não quero fazer algo a mais contigo" lembra do título? SINAIS... Aparentemente ele ouviu CLARO VAMOS CASAR AGORA MESMO ele foi embora só as 16:54h (não consigo esquecer) e só foi pq ele tinha que trabalhar... "Cheguei em casa" ele disse eu respondi tudo bem bom trabalho e tentei dormir, "foi legal hehe, pena que tu estava meio distante, mas acho que era pq nos vimos pela primeira vez, da próxima pode se soltar mais" eu respondi oi?? Próxima?? Moço eu clara e abertamente te disse que não queria nada, tu ficou horas na minha casa olhando pra parede, desculpa se te fiz pensar o contrário mas NÃO eu não queria sexo nem nada contigo... "Ah desculpa não percebi, tu deveria ter deixado mais claro, ou mais óbvio" KKKK é eu não deixei óbvio o suficiente... Dois dias depois ele chama de novo e tenta me controlar, pq não responde? Pq a demora? Tá fazendo oq que não fala cmg ? Oie linda cadê tu? Até que eu surtei e falei pra ele vazar, disse que que estava ficando com uma pessoa (mentira) e que não queria nada com ele... As mensagens pararam até que 3 meses depois vem um "oi, lembra de mim?" Eu disse sim eu lembro e ele " ah então só queria te perguntar pq tu falou comigo se tu não queria nada, deveria ter deixado claro ok, era só isso mesmo" Eu já no auge da raiva respondi FODA-SE OQ TU QUER SABER NÃO TE DEVO NADA E RECOMENDO QUE TU PRESTE ATENÇÃO NOS SINAIS PQ ESTAVAM ÓBVIOS BJS PASSAR BEM UMA LINDA VIDA LONGE DE MIM E bloqueei era isso kkkkk um beijo pra todos e desculpa pela história longa
submitted by ruivadino to TurmaTV [link] [comments]


2020.03.02 22:19 roddlove Diagnostico de autismo depois de adulto, minha historia...

Desde minha infância me sentia diferente, só interagia bem com irmãos e pais, o contato com colegas de colégio era bem superficial, parecia que não me enquadrava naquele grupo, tudo piorou quando meus pais se separaram (meu pai era meu único amigo e confidente) quando eu tinha 8 anos acabei perdendo contato com meu pai depois que saiu de casa (separação), ligava religiosamente todo domingo isso durante 1 ano, depois se distanciou, aos 11 anos fiquei 1 semana na casa dele em outra cidade (ferias), parecia não ser mais meu velho, envelheceu muito e como fazia anos que não o via, foi muito superficial nosso contato, fiquei muito acanhado nos dias que passei com ele, um mês depois ao nosso reencontro ele sumiu, algum tempo depois alguns primos dele disseram que o viram caminhado como andarilho em uma rodovia, desnorteado, os covardes não estenderam a mão para o ajuda-lo.
Cresci com um sentimento de abandono, tanto por parte dele como de minha mãe que me tratava com indiferença, como ovelha negra entre meus irmãos, o tempo passou ia pra escola já pensando no fim das aulas, me sentia um ET, sempre na minha, só falava com uns 3 colegas (excluídos como eu) na hora do recreio. Quando tinha trabalho em dupla ou de grupo eu era sempre o ultimo a me juntar, me sentia um lixo, minha caligrafia era péssima, precisei de reforço pra não ser reprovado em algumas disciplinas. Em dias de educação física era trágico, não me enturmava e meu despenho com esportes era péssimo, sofria de enurese noturna até os 14 anos (era péssimo, sem comentários).
Aos 13 anos decidi morar com minha vó pela proximidade com o colégio, pois minha mãe cortou a ajuda com vale transporte, via meus irmãos e mãe aos fins de semana.
O tempo passou entrei no ensino médio, no ultimo ano do Médio, fui o único a não confraternizar (como sempre) passei em um curso de manutenção industrial no Senai do qual nunca me identifiquei, fiz por fazer, o serviço era braçal e entediante e pra mim desistir seria uma derrota, na época fazia o médio a manhã toda, Senai de tarde e de noite exausto mergulhava no estudo com uns livros velhos para o vestibular, nessa época conheci uma garota que morava perto de casa, toda noite ia conversar com ela em frente a sua casa (ela mais falava) acabei me apaixonando por ela, mas minha timidez não deixava eu declarar (doeu muito isso), naquele ano prometi pra mim mesmo que se não passasse iria acabar com meu sofrimento existencial, não passei, minha mãe ficou ainda mais indiferente comigo, discussões todos os dias, então decidir a fazer uma carta de despedida.
Comprei 3 frascos de veneno escondi em meu quarto. Em uma noite li a bíblia e pedi perdão pra Deus, criei coragem e tomei, dói meu estomago só de lembrar, dores indescritíveis, falta de ar, agonizei e derrubei um ventilador, minha mãe no quarto ao lado lado ouviu, e me viu naquela situação, foi um desespero aquela madrugada, único sentido que funcionava era a audição ouvi todo o desespero de parentes, ate um momento que apaguei quando acordei via tudo embaçado, perguntava se estava no céu... que se tivesse queria sair dali pois sentia muita dor, fui parar no UTI fiquei 1 semana internado, me sentia um lixo naquele lugar, um ser incapaz de acabar com a própria vida, por alguns momentos me via conversando com pessoas distantes, mas eram alucinações, abalou muito minha cabeça o efeito do veneno, sai daquele hospital pele e osso, pesando 48kg, tenho 1,71m.
Quando cheguei em casa, minha família era outra, minha mãe da agua pro vinho comigo, meus irmão ficaram afetuosos, iniciei um tratamento no Caps, com psicólogo e psiquiatra, não me adaptei ao lugar (só tinha dementes graves), duas semanas depois minha mãe me convenceu a voltar estudar pra ocupar minha mente e terminar o curso no justificando minha ausência por virose, aceitei, foi péssimo, meus colegas olhavam diferente, e meu instrutor me chamou pra conversar e perguntou por que eu fiz tal ato, me fingir de desentendido, deu vontade de sumir daquele lugar, e sair do curso depois da conversa.
Aos 19 anos dei meu primeiro beijo, aos 20 conheci uma moça pelo Orkut e fiquei, me apaixonei (nunca me sentir amado e querido por alguém), entre idas e vindas namoramos por 2 anos.
O tempo passou arrumei meu primeiro emprego aos 21 anos, fiquei por 1 mês, não conseguia me manter em nenhum emprego, sentia uma fobia social muito alta, em um ano fiquei em quatro lugares diferentes e com funções diferentes e pedia demissão antes de completar 2 meses, no mesmo ano terminei meu relacionamento, na verdade ela terminou. Entrei mais uma vez em depressão profunda, mas dessa vez comuniquei minha mãe sobre meus pensamentos suicidas, novamente fui em uma psicologa e psiquiatra no Caps, tomei alguns medicamentos por um período, e descobrir que este mal não tem cura.
Depois de um tempo voltei a trabalhar dessa vez por um ano, desafiando a tudo e a todos, me superei. Fiquei 10 meses desempregado e me empreguei em uma industria em uma cidade distante, fiquei 3 anos, varias vezes pensei em desistir como no tempo do colégio ia me arrastando ao trabalho, eu era visto como um esquisito e antissocial naquele lugar (como sempre), neste tempo conheci uma pessoa, fiquei com ela 4 anos, foi um relacionamento bem conturbado, ela tinha bastante problemas adquiridos na infância também, no mesmo período contrair uma hérnia de disco na coluna, o caso foi cirúrgico, onde não melhorei, e ate o momento estou afastado hoje com 31 anos, separado, morando sozinho com uma gatinha que adotei há 1 ano (minha unica companhia).
Recentemente recebi a noticia que encontraram meu velho em um cidade distante, mas infelizmente em um necrotério, há 8 meses na gaveta, não o enterraram por não ter um familiar pra liberar o corpo, eu e meus irmão fomos até lá para dá o adeus que não demos em vida infelizmente, que Deus o tenha. Descobrimos que ele vivia uma vida miserável e sofrida, estava doente. (Quando se casou com minha mãe era um empresário, mas não soube administrar seus negócios)
Fiz algumas seções de fisioterapia com um osteopata, e ele me fez perguntas relacionado a minha infância, e confessei pra ele alguns traumas, ele disse que pra minha idade não é normal sentir as dores que sinto que meu problema ortopédico teve o desencadeamento emocional, além das seções de fisioterapia me pediu pra fazer orações do Hoponopono, me sentia aliviado quando fazia.
Após novamente sentir uma crise profunda de existência procurei ajuda psicologia dessa vez particular, descobrir que tenho autismo, e agora percebo tudo faz sentido, todos os meus sintomas desde a infância é compatível com este diagnostico, estou vivendo um dia de cada vez, tentando manter a calma e a serenidade, mas por dentro estou destruído, sem perceptiva de um futuro, acho que o que me mantem vivo é o amor e pena que sinto pela minha família, me coloco no lugar deles, caso eu acabe com isso prematuramente. Não sei até onde vai minhas forças, me sinto incapaz de socializar naturalmente com as pessoas, minha vida se resume em ficar em casa praticamente o dia inteiro, lendo, ouvindo música, procurando vídeos de desenvolvimento pessoal, (só saio pra ir no mercado, fisioterapia e psicólogo) não estou pior, pois ainda recebo benefício pelo problema que adquirir na coluna (dá pra sobreviver), mas não sei até quando, queria tanto ser independente, empreender e não depender de ninguém, mas infelizmente, sou muito limitado, e quando a desesperança vem, sempre me vejo apertando o gatilho na minha cabeça, queria tanto ter uma arma e acabar com essa loucura de vida sem propósito, não sei até quando irei suportar...acho que cheguei no limite...
submitted by roddlove to desabafos [link] [comments]


2020.02.07 04:23 PM_ME_YOUR_BHOLE_R34 Eu tenho vontade de trair minha namorada 24/7.

Eu não sei o que acontece. Eu tenho 25 anos e namoro há 6. Antes desse relacionamento, namorei por 3 anos também. E eu devo te falar, antes de começar esse desabafo, que eu gosto de ficar em relacionamento. Gosto da estabilidade, do afeto, da intimidade. Inclusive, acho o sexo mais gostoso, justamente por conta da intimidade extra.
Mesmo assim, em ambos os relacionamentos, eu sempre, sempre tive vontade de trair. Eu não sei nem começar a explicar o porque, mas eu só tenho. Em ambos eu traí, apesar de me sentir um merda todas as duas vezes. No primeiro relacionamento foi mais “leve”, eu só beijei a garota em uma festa, ela era meu crush ha anos e foi isso. Na segunda, dei match no tinder com uma quase vizinha minha e dessa vez eu transei. As duas vezes eu me senti a pior pessoa da terra, literalmente sujo, mesmo depois de tomar vários banhos. Não sei explicar.
Fora as outras traições, que pra alguns não são, mas que pra mim foi também: trocar foto com menina no ig, no wpp. Ficar falando putaria, etc. Não teve nada físico, mas pra mim seria traição se eu pegasse ela fazendo. Também me senti nojento todas as vezes.
Não faz sentido pra mim. Porque eu iria ter vontade de fazer algo que me faz sentir mal? E que é pior que o sexo que eu faço com minha namorada? Ela já sabe o que eu gosto, eu sei o que ela gosta, nos dois gozamos, é bom pros dois, não tem nenhuma “awkwardness” em qualquer momento, tudo compatível...
Sei que a resposta é não, já que existem 7 bilhões de humanos na terra, mas eu me sinto sozinho as vezes. Já falei sobre isso com meus amigos e todos eles acham estranho mesmo.
Enfim, fica meu desabafo.
submitted by PM_ME_YOUR_BHOLE_R34 to desabafos [link] [comments]


2019.11.06 06:33 bicto O que é o liberalismo?


O que é o liberalismo?
O que é o liberalismo? Em que medida é possível encontrar características constantes num movimento de ideias e de iniciativas práticas que se desenvolve no curso de três séculos e frequentemente apresenta, na mesma época, tendências bastante diversas?
Merquior se propõe essa questão inicial e lhe dá uma resposta afirmativa. O liberalismo não é uma expressão oca mas, dentro de suas variações de época e de escolas, mantém-se, embora em proporções diferenciadas, fiel à sustentação de quatro liberdades fundamentais. São elas: (1) liberdade (negativa) de não sofrer interferências arbitrárias; (2) liberdade (positiva) de participar nos assuntos públicos; (3) liberdade (interior) de consciência e crenças e (4) liberdade (pessoal) para o autodesenvolvimento de cada indivíduo.Essas quatro liberdades constarão sempre, ainda que em doses diferentes e, algumas vezes, de forma mais implícita do que explícita, do elenco histórico do pensamento liberal. Este, visto no seu conjunto, do século XVIII aos nossos dias, apresenta diferenciações, basicamente em função das características de cada época, no que diz respeito à maior ou menor ênfase dada a cada uma dessas quatro liberdades e no que se refere ao relacionamento entre o indivíduo, a sociedade e o Estado. Por outro lado, o pensamento liberal, também contemplado no seu conjunto, reflete as tendências predominantes nas culturas nacionais em que se desenvolve.
No que tange ao desenvolvimento histórico do liberalismo, Merquior identifica, inicialmente, um protoliberalismo, que mergulha suas raízes mais remotas na defesa medieval dos direitos e no humanismo do Renascimento.Poderia ter se referido à emergência da liberdade interior, com Sócrates e Platão, e dos direitos universais do homem, com os estoicos. Em seguida, Merquior diferencia seis principais correntes no liberalismo: o liberalismo clássico, o conservador, o novo liberalismo, o neoliberalismo, o neocontratualismo e o liberalismo sociológico.
No que concerne às escolas do pensamento liberal, influenciadas pelas características das principais culturas nacionais em que se desenvolveu, Merquior distingue três linhas. A escola inglesa, de Hobbes e Locke a Bentham e Mill, para a qual a liberdade é principalmente a independência pessoal. A escola francesa, a partir de Rousseau, para a qual a liberdade é, fundamentalmente, autogoverno. E a escola alemã que, com base em Humboldt, encontra a essência da liberdade na autorrealização pessoal.
Raízes do liberalismo
Em última análise, segundo Merquior, o cristianismo, de um modo geral e, particularmente, a Reforma e a Revolução Francesa, constituem os fundamentos a partir dos quais se desenvolve o liberalismo.
As raízes mais remotas do liberalismo podem ser encontradas no pensamento medieval, com Marcilio de Padua (1275-1343) e seu Defensor Pacis (1324) introduzindo o requisito de consentimento dos governados, para a legitimidade dos governos. Ockham (1300-1349), Francisco Suárez (1548-1617), Hugo Grotius (1583-1645) e Johann Althusius (m. 1638) são importantes precursores de muitos dos aspectos do liberalismo. Modernamente, deve-se a John Locke, com seu Second Treatise on Government (1659) a implantação das bases do pensamento liberal.
Merquior reconhece, entre os antecedentes remotos, a influência do conciliarismo eclesiástico na configuração do pensamento constitucionalista. Faltou-lhe referir, como precedentemente mencionado, o legado grego em matéria de liberdade interior, um dos fundamentos do pensamento liberal e, por outro lado, o mesmo legado grego na construção da democracia, como regime político. Haveria que acrescentar a relevante contribuição dos estoicos, precedendo o cristianismo no entendimento da dignidade universal do homem, independentemente de sua cidadania e condição social.
Sem embargo de suas raízes remotas, o liberalismo, como movimento de ideias e de práticas societais, procede da Ilustração. Esta, em última análise, levantou a problemática fundamental da relação homem-sociedade-Estado, que é, por um lado, a exigência da liberdade, tanto negativa, no sentido de não coerção, quanto positiva, no sentido da participação pública. Por outro lado, a exigência da racionalidade pública, opondo-se às modalidades populistas e clientelistas da democracia. O século XVIII oscilou, por isso, entre os direitos públicos da cidadania, enfatizados pela Revolução Francesa, e as exigências de racionalidade pública, enfatizadas pelo chamado “despotismo esclarecido” – de Frederico, o Grande ou do Marquês de Pombal – que, não tendo sido efetivamente despótico, mereceria a denominação de autoritarismo esclarecido.
Liberalismo clássico – 1780-1860
O liberalismo clássico é uma reflexão sobre as condições de formação e de legitimidade do Estado e uma defesa das liberdades negativa e positiva, ante o governo e no âmbito do Estado. Hobbes sustenta que a preservação da incolumidade das pessoas e de seus direitos básicos conduz à delegação de todo o poder ao príncipe, como administrador desses valores. Locke contrapõe, no contrato social básico, a exigência do consentimento dos governados, como condição de legitimidade do poder.
Os whigs, primeiro partido organizado de tendência liberal, incorporam as exigências de consentimento, de Locke, moderando-as com algo de Hobbes, na preservação da autoridade do príncipe.
O liberalismo clássico produzirá um brilhante elenco de pensadores: Benjamin Constant e Alexis de Tocqueville, na França; John Stuart Mill, na Inglaterra; Giuseppe Mazzini, na Itália; Alexander Herzen, na Rússia. Locke, moderadamente influente na Glorious Revolution, será decisivamente influente na formação do pensamento liberal da Independência americana.

Liberalismo conservador
Os excessos da Revolução Francesa, quer no populismo de Marat e Danton, quer no jacobismo de Robespierre e do Terror, culminando no imperialismo autoritário de Napoleão, levam o pensamento liberal de fins do século XVIII e primeira metade do XIX a uma reação conservadora. É preciso proteger a sociedade das oscilações entre um populismo irresponsável e um dogmatismo repressivo. Edmund Burke (1729-1797), com sua crítica da Revolução Francesa dá o tom do liberalismo conservador. Será seguido, na Inglaterra, por Thomas Macaulay (1800-1859), John Dalberg, barão Acton (1834-1902), Walter Bagehot (1826-1877), o grande editor do Economist desde 1861 até seu falecimento, e pelo evolucionismo social-darwinista de Herbert Spencer (1820-1903). Na França, o liberalismo conservador será introduzido por François-René de Chateaubriand (1768-1848). O liberalismo francês de tendência conservadora distinguirá, na grande revolução, seu momento positivo, 1789, do negativo, 1793. Com variantes vinculadas às vicissitudes políticas da França, são inseríveis na categoria do liberalismo conservador personalidades como Michelet (1798-1874), que apoiará o Segundo Império, Rémusat (1797-1875), que apoiará Thiers, mas manterá sua preferência por uma monarquia constitucional, Edgard Quinet (1803-1875), que sustentará um liberalismo sem reivindicações de classe, e Ernest Renan (1823-1892), que defenderá um liberalismo não democrático.
O quarto capítulo de O Liberalismo – Antigo e Moderno, que aborda o liberalismo conservador, inclui uma seção tratando de uma particular vertente desse liberalismo, sob a denominação de liberalismo de construção nacional, analisando a obra e as atividades públicas de dois eminentes pensadores argentinos: Domingo Faustino Sarmiento (1811-1888) e Juan Bautista Alberdi (1810-1884).
Sarmiento, herdeiro das preocupações da Ilustração, no tocante à compatibilização entre as liberdades negativas e positivas do cidadão e o imperativo de racionalidade pública, mostra como a condição dessa compatibilização é a universalização da educação popular, através da escola pública. Em seu clássico, Facundo, Civilización y Barbarie (1845) coloca-se decisivamente a favor daquela, contra o caudilhismo rural. Alberdi se defronta com uma Argentina invadida por imensas ondas migratórias e se preocupa em salvaguardar a nacionalidade, denegando direitos políticos aos imigrantes. Natalio Botana, citado por Merquior, define Alberdi como o Edmund Burke da imigração europeia. Sua proposta é a de uma modernização conservadora, que favorece a industrialização e o progresso, em condições que protejam a república da irracionalidade das massas e da desnacionalização dos imigrantes.
Constitui uma valiosa inovação, por parte de Merquior, ter superado o preconceito de restringir a discussão das grandes ideias públicas, ao universo euro-norte-americano, introduzindo, em sua grande obra, uma fina análise de Sarmiento e Alberdi. É de lamentar-se, por outro lado, que essa lúcida e despreconceituosa abertura não tenha incluído referências fundamentais ao liberalismo mexicano, com Benito Juárez e o liberalismo conservador-progressista de Porfirio Díaz, não tenha contemplado o liberalismo brasileiro, de Antonio Carlos de Andrade a Ruy Barbosa, nem o pensamento e a atuação chilenos, no extraordinário esforço de nation-building de Diego Portales.
O estudo do liberalismo conservador de Merquior se encerra com uma análise do pensamento alemão, vinculado à ideia do Rechtsstaat, incluindo uma penetrante discussão de Max Weber. A essa análise se seguem outras duas, abordando o pensamento de Benedetto Croce na Itália e de José Ortega y Gasset, na Espanha.
O pensamento alemão é pautado por duas grandes linhas; o conceito de Wilhelm von Humboldt sobre os limites do Estado, visto como “guarda noturno” das liberdades cívicas e o conceito de Kant sobre a autocultivação, como supremo objetivo da pessoa, requerendo apropriada tutela do Estado.
Avulta, nesse pensamento, a figura de Max Weber (1864-1920), que combina, admiravelmente, a tradição historicista germânica com as exigências, tingidas de positivismo, de uma sociologia científica. Dentro dessa perspectiva, Weber se dá conta de que o processo de modernização consiste numa expansão da racionalidade instrumental, cujo agente social é a burocracia. As sociedades modernas se defrontam, assim, com um duplo perigo: o despotismo burocrático e, na contestação a este, o do autoritarismo carismático. Para superar esse duplo risco Weber enfatiza a necessidade do parlamentarismo como forma democrático-racional de seleção de lideranças políticas.
Benedetto Croce (1866-1952) é outra figura eminente analisada por Merquior. Croce, a partir de um profundo historicismo (que resgata a figura de Giambattista Vico) sustenta um liberalismo como exigência moral, em oposição ao liberalismo econômico do utilitarismo. A grande contribuição de Croce foi a identificação, no processo histórico, de um crescimento cumulativo, embora não linear nem ininterrupto, da liberdade. Esse compromisso com a liberdade, como exigência moral, mas também como tendência evolutiva da história, levou Croce a uma consistente posição antifascista.
A análise do pensamento de Ortega (1883-1955) encerra a discussão, por Merquior, das grandes personalidades do liberalismo conservador. Ortega se defronta com exigências contraditórias. Por um lado, seu profundo liberalismo, como decorrência necessária de seu abrangente humanismo. Por outro lado, sua crítica ao homem-massa, não entendido como membro do proletariado, mas
como um tipo psicocultural, que se encontra em todas as classes sociais, consistente no homem sem ideais superiores, que se esgota na busca do bem-estar.
O liberalismo de Ortega o leva a apoiar os esforços iniciais da República e a se opor, concomitantemente, ao franquismo e ao comunismo. O elitismo psicocultural de Ortega o conduz, a meu ver, a uma modalidade própria de liberalismo conservador, que se poderia definir como uma sustentação universal das liberdades negativas e uma abordagem seletivamente meritocrática para as liberdades positivas. Escapou à análise merquioriana esse aspecto do pensamento de Ortega, que me parece extremamente relevante.
Concluindo sua magistral discussão do liberalismo de seu momento clássico ao conservador, Merquior diferencia, no processo, cinco principais expressões: (1) os direitos naturais, com Locke e Paine; (2) o humanismo cívico, de Jefferson e Mazzini; (3) o das etapas históricas, com Smith e Constant; (4) o utilitarismo, com Bentham e Mill; (5) o sociologismo histórico, com Tocqueville.
O liberalismo é um processo que parte do whiguismo, como mera demanda de liberdade religiosa e governo constitucional, para atingir a democracia. Os excessos desta preocupam os liberais conservadores, que querem moderar a democracia e se constituem em neo-whigs.
Daí resultam em três modalidades de liberalismo: (1) o idioma burkeano, de Macauley, Maine, Alberdi, Renan, Acton; (2) a linguagem darwinista, de Spencer; (3) o historicismo, com suas implicações elitistas, de Weber e de Ortega.

O novo liberalismo
Albert Dicey, citado por Merquior, observa que o reformismo legal, na Inglaterra, teve duas fases no século XIX. A primeira, de 1825 a 1870, encaminhou-se para defender e expandir a independência individual. A segunda, de 1870 em diante, teve por objetivo a justiça social.
O novo liberalismo, do fim do século passado em diante, teve um forte cunho social, tornando-se um social-liberalismo. A grande figura britânica, nessa linha de pensamento, foi Thomas Hill Green (1836-1882). A partir de um hegelianismo kantiano, Green sustenta a necessidade de, mantendo-se o princípio da liberdade, liberdade de qualquer coerção, encaminhar-se para a liberdade positiva, para assegurar a todos os homens a plenitude de seu autodesenvolvimento – a Bildung dos alemães. O objetivo da ação pública deve ser o da melhoria social. Isto significa agregar, à defesa dos direitos individuais, a exigência de igualdade de oportunidades e de uma ética comunitária. John Hobson (1854-1940) e Leonard Hobhouse (1864-1929) prosseguem na linha de Green. Hobhouse insiste na exigência de liberdade positiva. Hobson se tornará famoso com seu Imperialism, de 1902, atribuindo este à excessiva acumulação de riquezas e poupança, que passam a exigir a conquista coercitiva de novos mercados.
As ideias de Green foram mantidas e postas em prática por William Beveridge (1879-1963). A partir do Reform Club, em 1942, Beveridge elabora os “Estatutos Originários” do estado de bem-estar social britânico.O liberalismo social assumiu, na França, a forma do republicanismo. O que estava em jogo era a reconstrução das instituições depois da derrocada do Segundo Império, sem incidir no populismo da Comuna, nem no retorno ao monarquismo conservador. As ideias básicas do movimento são lançadas por Claude Nicolet em L’idée Républicaine en France, de 1870. O liberalismo social, na França, se subdivide em diversas modalidades: neogirondinos, com Quinet; neodantonistas, com Michelet e Victor Hugo; republicanos positivistas, com Jules Ferry e Gambetta, e republicanos espiritualistas, com Charles Renouvier.
O liberalismo social, na França, tomou a defesa de Dreyfus. Seus expoentes mais recentes foram Émile Durkheim (1858-1917) e Leon Duguit (1859-1925). A expressão final dessa tendência adquire, com Alain (Émile Chartier, 1868-1951) um sentido super-individualista, beirando o anarquismo. Alain será extremamente influente na formação do pensamento de Sartre, de Simone Weil e de Raymond Aron. Essa tendência, com coloração mais social, será mantida por
Albert Camus (1913-1960) em seus romances. O liberalismo social tem importantes defensores, na Itália, com Piero Gobetti (1901-1926), antifascista, numa posição de social-liberalismo idealista, baseado nas massas e Cario Roselli (1899-1937), que busca um socialismo democrático, liberado do marxismo. Na Espanha, com Salvador de Madariaga (1886-1978), dentro de uma visão organicista da democracia.
Na Alemanha, o liberalismo social se identifica com o apoio à República de Weimar. Seu mais eminente expoente será Hans Kelsen (1881-1973). Em seu trabalho de 1920 Sobre a Essência e o Valor da Democracia, o eminente jurista sustenta que a essência desta consiste na autonomia da geração da norma, em condições de pluralismo político.
Os Estados Unidos dão uma relevante contribuição ao liberalismo social com Woodrow Wilson (1856-1924) e seu programa da “New Freedom” e John Dewey (1859-1952), com sua ênfase sobre a educação.
Mais recentemente, os britânicos dão nova importante contribuição ao socialliberalismo, com Keynes (1883-1945) e o romancista George Orwell (1903-1950). Karl Popper, de tendência conservadora e perspectiva neopositivista, desenvolve, em termos antiestatistas, uma preocupação com a superação da miséria. Seu famoso dito: “minimizem a miséria, em vez de tentar maximizar a felicidade”. Dentro dessa linha, destaca-se a importância intelectual de Sir Isaiah Berlin, cujo Two Concepts of Liberty, de 1958, diferenciando a liberdade negativa da positiva, salienta o imperativo de perseguir objetivos racionais, evitando todas as formas de autoritarismo.
Neoliberalismo
Enquanto o que Merquior designa de “New Liberalism” se caracteriza pela impregnação da preocupação social no pensamento liberal, o neoliberalismo toma sentido oposto, constituindo uma dura crítica do paternalismo estatal. Von Mises (1881-1933) com seu libelo Socialismo, de 1922, denunciando os abusos da regulação social, Von Hayek (1899-1992) sustentando um liberalismo de mercado, em condições de governo mínimo, juntamente com Milton Friedman (1912-2006) e sua irrestrita defesa do mercado, marcam a linha extremamente conservadora do neoliberalismo.
O neoliberalismo retoma a temática individualista do liberalismo clássico, dentro da postura do liberalismo conservador de Burke, Macauley e Bagehot. E conhecida a grande influência exercida por essa linha de pensamento na política contemporânea, a partir de Thatcher, na Grã-Bretanha, e de Reagan, nos Estados Unidos, irradiando-se para o restante do mundo, notadamente em muitos países do Terceiro Mundo. O fato de governos economicamente neoliberais, ainda que frequentemente fundados num autoritarismo político, terem conquistado, no Sudeste Asiático e em países latino-americanos, como o Chile de Pinochet (numa orientação continuada pelo governo democrático de Patricio Aylwin) e o México, importantes êxitos econômicos, conferiu à ideologia neoliberal uma grande audiência.
Merquior analisa, com muita competência, as principais personalidades do pensamento neoliberal. É de lastimar-se que não tenha introduzido as necessárias qualificações, no tocante à diferenciação que importa fazer, entre a comprovada validade de uma economia de mercado, dinamizada pela empresa privada, como condição de boa alocação e gestão de recursos, dos aspectos puramente ideológicos do neoliberalismo, demonizando o Estado e, por conta de sua desmontagem, instaurando a lei da selva em sociedades cuja estabilização se devera aos sadios efeitos do Welfare State.
Liberalismo sociológico
O quinto e último capítulo do livro de Merquior contém duas seções finais. Uma tratando do que se poderia denominar de “liberalismo sociológico”, que consiste, fundamentalmente, numa análise crítica do pensamento de Raymond Aron e de Ralf Dahrendorf. A outra, abordando o neocontratualismo de Rawls, Nozick e Bobbio.
Em sentido estrito, não se pode falar de liberalismo sociológico em relação a Aron e a Dahrendorf. Tal denominação só teria sentido aplicada ao liberalismo de Spencer e de Durkheim. Aquele, por seu determinismo evolucionista. Este, por seu determinismo social. Aron e Dahrendorf são eminentes sociólogos e convictos liberais. Em ambos o liberalismo não decorre de postulados sociológicos ainda que, certamente, a condição de competentes sociólogos os leve a superar os aspectos meramente ideológicos de várias modalidades de liberalismo, tanto de esquerda quanto de direita.
Aron (1905-1983), tão multifacético como Merquior – que sobre este emitiu a famosa frase “ce garçon a tout lu” – sustenta um liberalismo moderadamente conservador, na relação indivíduo-sociedade-Estado, enfatizando as liberdades negativas e a relevância do mercado. Por outro lado, tem consciência da necessidade de uma prudente regulação, pelo Estado, das relações econômicas (medidas anticíclicas) e sociais (igualdade de oportunidades e proteção de setores carentes). Sua militante denúncia das falácias do comunismo e dos populismos de esquerda lhe valeram, durante largo anos, a hostilidade da maioria dos membros da intelligentzia. Sua extraordinária honestidade intelectual, sua enorme competência e excepcional lucidez acabaram lhe conquistando a admiração geral de todos os intelectuais sérios, ainda antes de o colapso do comunismo no Leste Europeu e na União Soviética confirmar, historicamente, a procedência de suas críticas.
A análise de Aron, por Merquior, se concentra, sobretudo, na sua obra histórico-sociológica e menos nas suas concepções a respeito do liberalismo, estas predominantemente veiculadas através de sua ampla contribuição ao jornalismo. Ralf Dahrendorf (1929-2009) compartilha, com Aron, a análise da sociedade industrial contemporânea e estuda os conflitos que lhe são próprios.
Particularmente importante, a esse respeito, é seu livro The Modern Social Conflict (1988). Mostra Dahrendorf como, na contemporânea sociedade industrial (tornando-se pós-industrial), os conflitos de classe, ao estilo do século XIX, foram superados por outro tipo de conflito. As diferenciações de classe ficaram extremamente reduzidas pela universalização da educação e de um estilo de classe média para, praticamente, toda a população. Formou-se, assim, um amplo estrato de assalariados, tanto de blue como de white collars. O próprio empresariado, sem embargo de seus proventos e poder decisório, decorrentes do capital, participa desse estrato como executivo das empresas. O novo conflito social, nas sociedades contemporâneas avançadas, é o conflito entre “provisões” e “titularidades”. A legislação social e os acordos sindicais conferem “titularidades”, independentemente de específicas “provisões” para atendê-las, ocasionando, assim, frequentemente, conflitos entre direitos adquiridos e meios para dar-lhes atendimento. Os atuais debates no Brasil, em torno das aposentadorias, são uma boa ilustração desta questão. Esse tipo de conflito suscita dois movimentos sociopolíticos opostos. De um lado, a classe majoritária (o amplo assalariado), com as demandas de suas titularidades. De outro lado, os “thatcheritas”, ciosos da proteção das provisões disponíveis, impondo disciplina às titularidades.
Nesse quadro, Dahrendorf, como Aron, preconizam um liberalismo radical, que assegure um sadio equilíbrio entre provisões e titularidades.

Os neocontratualistas
John Rawls (1921-2002) conquistou fama tardiamente, com seu livro ATheory of Justice (1971). Retomando a tese do contrato social, Rawls assinala que o que está realmente em jogo não é tanto a questão da legitimidade do poder, de que se ocupavam os utilitaristas, mas as regras de justiça. O contrato social de Rawls é expressamente hipotético. Trata-se de saber o que pessoas racionais contratariam se, ignorando os recursos de cada qual e o lugar que lhes fosse dado ocupar na sociedade, tivessem de estabelecer as regras de justiça. Segundo Rawls, tal situação conduziria à adoção de dois princípios: (1) cada qual deve ter igual direito ao máximo de liberdade compatível com a liberdade dos demais; (2) desigualdades sociais podem ser admitidas, sempre que beneficiem os menos favorecidos membros da sociedade. Tais posições conduzem Rawls a um social-liberalismo.
Robert Nozick (1938-2002), em seu Anarchy, State and Utopia (1974) adota posições divergentes, sustentando, também a partir de premissas neocontratualistas, a necessidade de minimização do Estado, que o inserem na linha do neoliberalismo.
Norberto Bobbio (1909-2004), uma das maiores figuras intelectuais de nosso tempo, se preocupa com o futuro da democracia e com o tipo de boa sociedade e de bom governo realisticamente realizáveis. Seu livro Estado, Governo e Sociedade (1955) é, possivelmente, o melhor compêndio contemporâneo de teoria política.
Segundo Bobbio o bom Estado deve apresentar cinco características básicas: (1) inserir-se num contexto poliárquico; (2) conter limitações de poder; (3) assegurar aos cidadãos participação na adoção de normas; (4) dispor de procedimentos democráticos para a eleição dos líderes e (5) respeitar os direitos civis e cívicos. Como Rawls, Bobbio é um social-liberal e um democrata liberal.

Esse texto é um apêndice escrito por Hélio Jaguaribe no livro O Liberalismo: Antigo e Moderno, de José Guilherme Merquior, publicado pela editora É Realizações em 2014.
submitted by bicto to brasil [link] [comments]


2019.08.12 22:10 alanterr SEO local: O que é?

Para uma empresa local, o objetivo é estabelecer-se como o melhor em sua área e aumentar os lucros. Na tentativa de se destacar e melhorar seu alcance de público-alvo, nada é mais importante do que ter uma boa estratégia de SEO local.
SEO significa Search Engine Optimization e engloba todas as estratégias utilizadas para aumentar o número de de visitantes ao seu site.
SEO local refere-se as técnicas de otimização para mecanismos de busca com foco no posicionamento de um site para pesquisas realizadas em determinado bairro, cidade, estado, região ou país. Envolve o uso de palavras-chave combinadas com o nome dessas localidades para obter visibilidade dentro da área de destino.

Porquê SEO Local?

Muitas empresas consideram SEO como algo “alternativo” e que pode não ser tão importante. Devido a isso, muitas empresas adotam os meios convencionais de publicidade e não veem a necessidade de mudar sua abordagem.
O SEO local não só lhe dá uma fatia do bolo, mas pode trazer o bolo inteiro de uma região para você.
Há uma série de fatores que o tornam cada vez mais importante para as empresas locais. Este artigo os explora em detalhes.

Seus clientes estão online

Os dias das páginas amarelas, ou listas telefônicas acabaram.
As pessoas não precisam folhear páginas e páginas para encontrar o endereço de uma empresa. Elas pesquisam no Google diretamente por produtos e serviços com a intenção de obter um número de telefone ou endereço.
Todas as empresas estão na internet, mais precisamente no Google. Isso significa que se o seu negócio não é encontrado lá, ele “não existe”.
Por conta do número crescente de clientes recorrendo à Internet em busca de respostas, as empresas locais que não estão bem posicionadas para essas respostas estão deixando muito dinheiro na mesa.

Economicamente viável

O objetivo de qualquer campanha de marketing é proporcionar um retorno sobre o investimento, levando a mais vendas e novos negócios.
A maioria das empresas locais trabalha com um orçamento limitado e é muito cuidadosa ao usar seus recursos.
O SEO local ajuda a diminuir os medos, pois há pouca publicidade desperdiçada, já que a divulgação é realizada apenas no lugar certo quando os clientes em potencial pesquisam online, dando-lhe assim uma vantagem sobre os meios tradicionais de publicidade, como mala direta, jornais locais e folhetos.
Esses métodos tradicionais não têm uma abordagem direcionada a um público muito específico e são menos eficazes.

É mais barato

Você pode começar a fazer SEO local de forma gratuita. O Google My Business e o Bing Places for Business são ótimas maneiras de começar com custo zero.
Além destes dois, há um monte de diretórios de negócios on-line onde você pode promover o seu negócio e dar a sorte de ser encontrado.
Porém, se você quiser algo mais poderoso será necessário contratar um profissional de SEO ou uma agência especializada. Porém, os custos são muito menores se compararmos aos anúncios em, jornais, revistas, tvs e rádios locais.

Declínio do jornal

A publicidade tradicional através do jornal está morrendo rapidamente.
O número de leitores está diminuindo e as pessoas estão cancelando suas assinaturas todos os dias.
No lugar dos jornais, os clientes recorrem a Internet para receber notícias e informações sobre empresas e produtos de que gostam.
Empresas locais inteligentes reconheceram essa mudança e estão aproveitando a otimização do SEO local, abandonando a “velha guarda”.

Tenha um site amigável para dispositivos móveis

Uma grande quantidade de pesquisas online vem de dispositivos móveis. Não faz sentido atrair visitantes ao seu site apenas para perdê-los porque ele não é compatível com dispositivos móveis.
Quando os usuários acham difícil navegar em um site, eles vão seguir em frente e isso significa que você perderá negócios para a concorrência.
Se você deseja fazer um trabalho sério de Seo local, tem que reconhecer que a maioria dos seus potenciais clientes estão à procura de informações através dispositivos móveis.
Entre em ação para conseguir que um desenvolvedor de websites que otimize seu site para celulares e tablets.

A velocidade é importante

Nada é mais frustrante do que precisar de uma solução rápida e se deparar com um site de carregamento lento.
Em SEO local, ter um site rápido é fundamental se você não quer perder clientes.
Descubra o que está tornando o site lento e corrija-o. Na maioria das vezes os arquivos de imagem pesadas são os culpados quando se trata de tempo de carregamento. Otimizar essas imagens dará ao site uma velocidade bem melhor.

Tornar o conteúdo localmente relevante

O Google prioriza os conteúdos segmentados localmente, tornando essencial criar um conteúdo que agrade as pessoas naquela área geográfica.
O conteúdo deve ser interessante, compartilhável e relevante para o público local.
Postagens de blogs sobre pontos de referência locais, eventos e lugares na região são uma ótima maneira de se conectar com as pessoas.
Outra abordagem interessante é fornecer uma opinião de um especialista relevante naquela área.
Por exemplo: se você é um contador, pode criar postagens sobre como economizar dinheiro em impostos cobrados naquela região. Ou como as regulamentações financeiras na área funcionam para a pequenas empresas.
Quando se trata de criar conteúdo que seja localmente relevante, você precisa agregar valor a este público específico.

Parceria com a mídia local

Construir um relacionamento com blogueiros e sites que se concentram na área em que você opera ajudará a impulsionar seus negócios.
As plataformas de mídia local têm um amplo alcance dentro da comunidade e você obterá benefícios a longo prazo criando essa rede de relacionamentos regionais.
Patrocinar eventos locais ou realizar acontecimento que atrairão a cobertura da mídia local para sua empresa também é uma boa ideia.

Conquinstar backlinks em sites da sua região

Criar uma rede de links vindos de sites de negócios localizados na sua região ajudará muito no posicionamento do seu site localmente para os resultados de busca.
O compartilhamento desses links nas redes sociais desses negócios locais também contribui para isso.

Para conseguir esse tipo de link, a qualidade do conteúdo é essencial.

Social media

O engajamento de mídia social é muito importante para o SEO local.
Criar contas em várias plataformas de mídia social como Facebook, Twitter e Instagram ajuda seu conteúdo a ser compartilhado, contribuindo para que surjam backlinks de autoridade apontados para o seu site.
Use sua presença na mídia social para se conectar aos clientes em potencial e responder a perguntas e comentários.
Essas estratégias não só ajudarão você a dar os primeiros passos, mas também o guiarão na emocionante jornada que é o SEO local.
Tudo o que é colocar a mão na massa e iniciar esse processo.
submitted by alanterr to u/alanterr [link] [comments]


2019.02.08 22:21 lolocant Eu me odeio

Eu tenho uma vida boa, pra ser sincero, mas eu me sinto infeliz. Sinto que não mereço nenhum amor e atenção.
Em casa somos eu, minha mãe e meu irmão. Eu me dou bem com eles e me sinto bem aqui dentro, mas no mundo lá fora me sinto insignificante e sem nenhuma qualidade.
O que mais me aflige é a solidão. Sinto falta de intimidade física e emocional com alguém. Lembro que desde adolescente sinto isso, mas me sinto incapaz de alcançar.
Tenho 25 anos e estive em um único relacionamento até hoje. Foi muito bom, mas logo eu percebi que a gente não combinava muito - perspectivas diferentes de vida, o que eu queria no relacionamento não era compatível com a personalidade dele, etc... Além disso, morávamos muito longe (800+ km), então não insisti muito, e durou só uns 9 meses.
Foi uma época bem legal, apesar das dificuldades.
Tive encontros desde então. Alguns ruins, outros melhores. Os caras que eu gostei mais eventualmente me ignoravam, apesar de dizerem que queriam muito me ver. Sinto que isso confirma as suspeitas de que não existe nada de valor em mim.
Eu tenho qualidades, porém aparentemente elas não me fazem ser alguém notável. Não faço nenhum sucesso em aplicativos. Ontem conversei com um cara que dizia que estava muito triste por ter se muda-se recentemente e não ter amigos ou família por perto. Logo depois ele me ignorou. Senti que não eu não servia nem pra aliviar um pouco essa dor, menos ainda pra ser amigo.
As vezes me sinto incentivado a me desenvolver, melhorar minha saúde, minha alimentação, minha cultura, me exercitar . Gosto de estudar, de aprender coisas novas... Mas nunca vou ter uma personalidade expansiva, nunca vou ser sarado, ou ter um rosto de modelo, e sinto que é isso que falta pra que eu tivesse o que eu quero.
Eu tenho muitos amigos, todos eles muito queridos, acredito que se eles gostam de mim, deve existir alguma coisa boa em mim.
É isso o que eu sinto, independente da verdade. Eu tenho tantos planos, mas as vezes tudo perde sentido, porque sempre vou ser sozinho.
As vezes eu desejo morrer. Não compensa passar pela vida e sofrer tanto a troco de nada. Mas não tenho coragem de agir nesse desejo. Já pensei em maneiras, mas tenho muito medo da dor, e mais medo ainda de falhar e viver o resto da vida com sequelas.
Sei lá, tô postando pq ontem recebi notícia de que finalmente fui aprovado pelo vestibular no curso que sempre quis, e que não era motivado na adolescência, imaginei que nunca saberia como é conquistar a técnica exigida na profissão, e agora estou muito perto de chegar.
Fiquei muito feliz, mas hoje estou triste por causa desses sentimentos de solidão. Se minhas superstições são falsas, então tem algo errado na minha cabeça, e esse é o meu grande enguiço na vida.
Vai saber mais quantos anos vou ficar nessa
submitted by lolocant to desabafos [link] [comments]


2019.01.01 07:10 BeeHammer Tinder é uma das experiências mais frustrantes que eu já passei.

Na empresa que eu entrei o pessoal tem uma pequena tradição de pagar o Tinder Plus para o pessoal novo, como meus outros dois colegas que entraram comigo são meio tímidos eu fui o primeiro.
Faz um tempo que não usava Tinder e nunca tinha usado o Plus mas puta merda que experiência frustrante para um pessoa é esse app, eu não sou exigente eu sei que nunca vai dar match naquela 10/10 e nem espero isso mas é muito ruim você ver alguém bem compatível com você é saber que tem chance mínima de dar match com a pessoa.
E quando da match mulher hetero é super passiva tem algumas que parece que ela está fazendo um favor em falar com você, ou da match e não fala nada caralho se não quer falar nada da desmatch é só apertar um botão, o pior é aquelas moças com conversa monosilabica porra fala alguma coisa que facilita a conversa para os dois.
Sem brincadeira a melhor conversa que eu tive até agora foi com uma mina que no fim era trans, e infelizmente não quis ser só minha amiga depois que falei que eu não me interessaria por um relacionamento mas puta mina gente boa.
submitted by BeeHammer to desabafos [link] [comments]


2018.07.24 14:24 SousaComS O que exatamente ela quer ?

Bom, desde março eu tenho ficado com uma garota. No dia dos namorados passamos a ter um relacionamento sério, e até aí tudo bem. Quarta feira passada ela comentou que precisava falar comigo... Nisso, ela veio dormir aqui sábado. Domingo de manhã, antes de ir embora, ela falou que não queria mais conversar pois mudou de ideia
Após muita insistência minha em saber o quê era, ela acabou dizendo que ia pedir um tempo, mas que mudou de ideia.
Todavia, ontem de manhã ela decidiu novamente pedir um tempo. Ela explicou que se sente insegura (não soube especificar sobre o quê exatamente), e queria um tempo pra pensar, e por a cabeça no lugar.
Ela chegou a pedir pra eu dar bom dia todo dia (como smp faço), mas achei que isso não é mt compatível com a ideia de tempo.
Então, os "termos" do tempo ficaram: - Vamos se falar com uma frequência mediana.
Nesse mesmo dia (ontem) acabamos ficando... Ela falou que isso não deveria ter acontecido, mas também não problematizou em cima. Enfim... Qual seria o ponto dela com esse tempo ? Em termos práticos não mudou mt coisa, e ela sequer sabe por que se sente insegura
submitted by SousaComS to desabafos [link] [comments]


2018.01.28 18:54 poison-fang-blade Conflito Interno

Já faz um tempo que eu carrego o sentimento de que sou um fracasso, que sou o filho que deu errado e que só dou desgosto pros meus pais, mas que eles nunca falariam isso na minha cara apenas por consideração. Mas de uns dias pra cá esse sentimento ficou forte o suficiente a ponto de eu ter ido dormir mais cedo nessa última sexta feira porque não conseguia aguentar essa sensação ruim me consumindo por dentro, por isso decidi fazer esse post. Preciso externalizar isso em algum lugar pra não desabar na frente dos outros.
Tenho 27 anos e estou desempregado pela quarta vez. Não consigo durar em um emprego por mais de 2 anos e em todas as demissões que tive a razão foi a mesma: a empresa passou por apertos financeiros, mandou algumas pessoas embora e eu entrei na dança. Resumindo, sempre fui demitido por ser incompetente, pois se eu fosse um bom profissional teria sido poupado. Enquanto isso, meus pais estão envelhencendo e eles não vão estar aqui pra sempre pra me dar suporte.
Meu pai volta e meia me dá umas lições de moral que só servem pra me fazer sentir ainda mais bosta, e ele fala como se um dia eu fosse casar e ter filhos. Filhos estão absolutamente fora de questão, e não tenho muito ânimo no tocante a relacionamentos. Sou uma pessoa mais solitária que prefere ficar sozinho a maior parte do tempo, não me considero compatível com um relacionamento amoroso. Mais uma coisa pra dar desgosto.
Sobre religião, meus pais são católicos conservadores, meu pai sendo praticamente bolsominion. Larguei a religião aos 19 anos (tenho 27). Quando disse que não ia mais à igreja, ouvi de tudo, com direito a praga do pai, barraco da mãe e sendo forçado a ir pra igreja por mais uns 2 anos depois do ocorrido. Além disso, uma de minhas preferências sexuais é considerado desvio segundo a religião deles; eles não sabem desse meu gosto e tenho medo inclusive de apanhar se um dia minha família descobrir, pois já acho que dou desgosto demais pra eles sem eles saberem disso.
Pra botar a cereja em cima do bolo religioso, meu irmão (6 anos mais novo que eu) decidiu seguir o caminho do sacerdócio, vai virar padre. Resumindo, o filho que deu certo vai seguir o caminho de Deus enquanto o fracassado vida torta aqui não sabe segurar um emprego; um depravado que não consegue atrair ninguém.
Concluindo, a sensação conflituosa que tenho é que, enquanto algumas dessas coisas que mencionei são estritamente problema meu e que tenho o direito de seguir minha vida como quiser (sem religião, preferência sexual, sem relacionamentos/filhos), não consigo tirar de mim essa amargura de ser uma decepção pros meus pais, que nunca me deixaram faltar nada e ainda me suportam nesses momentos de desemprego.
submitted by poison-fang-blade to desabafos [link] [comments]


2018.01.24 18:19 bt22coin HEALTH SAÚDE Uma rede P2P de Saúde de armazenamento de registro médico

HEALTH SAÚDE Uma rede P2P de Saúde de armazenamento de registro médico v 0.1 Rogerio H. Berlanda Novembro 2017
1.0 Prefácio Seguindo a tecnologia de uma nova era entre sistemas e banco de dados e ativos eletrônicos ou dinheiro eletrônico ponto a ponto versão de um sistema de pagamentos que hoje revoluciona nossa economia como dito por Satoshi Nakamoto seja ele um grupo ou assim como nós um cidadão comum:
“Uma versão puramente p2p de dinheiro eletrônico pode permitir o envio de pagamentos online diretamente de uma parte para outra sem ser através de uma instituição financeira. Assinaturas digitais providenciam parte da solução, mas os maiores benefícios são perdidos se um intermediário confiável ainda for necessário para prevenir o gasto duplo. Nós propomos uma solução para o problema de gasto duplo usando uma rede p2p. A rede carimba uma data as transações codificando-as em uma corrente contínua de prova de trabalho baseada em codificação formando um registro que não pode ser modificado sem que a prova de trabalho seja refeita. A maior corrente não apenas serve como prova de sequência de eventos testemunhados, mas a prova de que eles irão gerar a maior corrente e ultrapassar os atacantes. A rede em si requer uma estrutura mínima. Mensagens são distribuídas na base da melhor forma possível, e os nós podem sair a vontade, aceitando a corrente com a maior prova de trabalho como prova do que aconteceu enquanto ele esteve fora.”
O que muitos não sabem é que a tecnologia por trás disso é a grande revolução BLOCKCHAIN é um sistema que cria uma corrente de dados imutável e segura.
Com isso, resolvemos criar uma solução dentre a cadeia e todo sistema de saúde já existente. Nossa ideia é otimizar trabalho e tempo, e também trazer aos usuários maior segurança e agilidade sob suas informações voltado a area de saude. A ideia inicial surgiu da necessidade de um plano de saúde ou atendimento médico, a solução encontrada foi criar um sistema onde você possa vender a força computacional do seus aparelhos seja computador, notebook, ou smartphones em troca de um ativo chamado XXXX, o qual será aceito em hospitais, farmácias, odonto, academias e clínicas particulares que utilizarem o sistema (Instituições parceiras).
INTRODUÇÃO
1.1 O que é Blockchain? E a tecnologia por trás da moeda digital Bitcoin, que desde 2009 vem ganhando o uso de uma forma generalizada tanto no setor de finanças quanto para sistemas descentralizados, com uma variedade de blockchains que habitam negócios e serviços ainda estão a entrar nesse mercado. A tecnologia blockchain é usada para compartilhar um registro de transação em uma rede de negócios sem ser controlada por qualquer entidade. O livro-razão distribuído facilita a criação de relacionamentos comerciais sem exigir um ponto central de controle. A tecnologia coloca privacidade e controle de dados nas mãos do indivíduo. Confiança e integridade é estabelecida sem dependência de terceiros intermediários.
1.2 Como Blockchain está mudando os mercado Fintechs. Atualmente, as transações digitais ocorrem com a ajuda de tokens. Este é um código exclusivo gerado por um terceiro (como Visa ou Mastercard, por exemplo) e é compartilhado com o solicitante de token (o revendedor do qual você está comprando) e o emissor da conta (o banco do cliente). Os tokens tornam as transações on-line mais seguras ao esconder os dados reais de identificação do cliente. Uma vez que o token é gerado por um terceiro que, por si só, não possui informações sobre a transação, não há espaço para qualquer tipo de dados que possam ser utilizados por um cientista de dados. Mas isso muda com a tecnologia Blockchain. Aqui, é teoricamente possível conseguir uma posse de todas as transações que já aconteceram e isso fornece aos cientistas de dados tudo o que precisam para analisar tendências e padrões em transações on-line. Os Blockchains fornecem aos bancos e instituições financeiras a tecnologia necessária para extrair dados mais úteis do histórico de transações do cliente. Além das instituições financeiras, os Blockchains como tecnologia também têm casos de uso em várias indústrias, onde é possível aos cientistas de dados “cavarem” através de grandes quantidades de dados que estavam até agora indisponíveis para mineração. A análise de dados oriundos de Blockchains permite identificar padrões como os gastos do consumidor e identificar transações de risco muito mais rápidas do que podem ser feitas com a tecnologia atual. Através do setor de saúde, varejo e administração pública, os estabelecimentos começaram a usar o Blockchain para evitar invasões e vazamentos de dados. Nos sistemas de saúde, uma tecnologia como Blockchain pode garantir que múltiplas assinaturas sejam buscadas em todos os níveis de acesso a dados. Isso pode impedir uma repetição do como houve em um ataque em 2015 que levou ao roubo de mais de 100 milhões de registros de pacientes. Até agora, a detecção de fraudes em tempo real era um sonho. Uma vez que o Blockchain tem um registro de banco de dados para cada transação, ele fornece uma maneira para que as instituições verifiquem padrões em tempo real, se necessário. Empresas como Chainalysis e Bloq usam essa inteligência em tempo real para tomar decisões sobre dados pseudônimos. Mas todas essas possibilidades também levantam questões sobre privacidade, e isso entra em contradição direta com a razão pela qual Blockchain e bitcoins tornaram-se populares em primeiro lugar. Entretanto, para analisar isso de outra perspectiva, os Blockchains melhoram a transparência na análise de dados. Ao contrário dos algoritmos anteriores, a tecnologia Blockchain rejeita qualquer entrada que não possa ser verificada e é considerada suspeita. Como resultado, os analistas das indústrias de varejo só lidam com dados completamente transparentes. Em outras palavras, os padrões de comportamento do cliente que identificados pelos sistemas de Blockchain provavelmente serão muito mais precisos do que é hoje. Embora o Blockchain ofereça uma grande promessa para a Ciência de Dados, a verdade é que ainda não temos muitos sistemas de tecnologia baseados em Blockchain implantados em escala industrial (principalmente no Brasil). Como resultado, as oportunidades e ameaças podem não ser evidentes por pelo menos mais alguns anos até que o Blockchain se torne mais comum. Entretanto, esta é uma tecnologia que promete ser revolucionária e que trará consigo um novo universo de dados transacionais online. Os estudantes e profissionais que trabalham com dados que almejam trabalhar com Blockchain, certamente possuem um futuro glorioso ainda por vir. Na imagem a seguir, criada pela Venture Radar, estão alguns exemplos de Startups que utilizam a tecnologia Blockchain
Figura1 Exemplos de Blockchains
1.3 Infra-estrutura Atual Saúde O realinhamento de um enfoque baseado nos registros de consultas para o cuidado integral do indivíduo torna se cada vez mais complicado e burocrático no que se diz respeito a necessidade e qualidade de vida “saúde”. Onde o acompanhamento e histórico hospitalar se torna cada vez mais fraudulento e falho sob todo o sistema. A disponibilidade de um serviço ou até mesmo atendimento pronto socorro se mostra menos acessível para aqueles que necessitam de um sistema básico de saúde ou até mesmo que não possuem condições mínimas. A infraestrutura, tecnologia e educação e impostos obtidos obrigam instituições e profissionais da área de saúde encarecer cada vez mais seus serviços entre o cuidado mínimo dos indivíduos (pacientes). Grandes corporações desviam boa parte da verba inserida pelo governo para área de saúde, tornando assim o acesso cada vez mais difícil por conta de suas grandes taxas e impostos. Situações como essas são presenciada em todo o globo.
1.4 Relação paciente. O novo paradigma da saúde exige a necessidade de um atendimento eficaz e de baixo custo para que assim seja acessível para todos, trazendo um registro de informações seguras e inviolável para que os pacientes e médicos possam navegar em históricos de consultas podendo assim acompanhar seus tratamentos.
❍ Paciente : Você pode acessar seu perfil de saúde em qualquer lugar, desde histórico médico anterior a receitas exigidas. As informações serão armazenadas em uma rede blockchain não publica.
Ativo Você pode receber todos os benefícios fazendo parte da rede minerando, você pode comprar XXXX, você pode vender, trocar ou até mesmo doar nossa moeda.
1.5 Relação médico. O médico por sua vez terá um nível mais elevado, é ele quem tem o papel de trazer conforto ou até mesmo a solução de um problema trazido pelo paciente então é a partir da confirmação dele que o sistema fecha o registro, para que assim a consulta possa ser registrado no livro razão.
❏ Médico: Você pode visualizar o histórico completo do paciente desde que tenha a “chave” do mesmo ou a chave da consulta fornecida pela instituição. Seu médico pode criar uma chave consulta a chave consulta permite desde que você forneça a sua chave que o médico insira informações sobre seu prontuário uma única vez.
Ativo Você recebe pela consulta, você pode comprar XXXX, você pode vender, trocar ou até mesmo doar nossa moeda. Além de poder fazer parte da rede minerando.
1.6 Relação instituição As grandes vantagens em ser uma instituição adaptada ao sistema, e ter um controle total e 100% confiável de que suas transações entre médicos e pacientes estão sendo feitas de forma correta sem violação.
⛨ Instituições: Podem criar novas consultas, visualizar todas as fichas médicas, fichas dos pacientes e todas as consultas.
Ativo Você recebe pela consulta, você pode comprar XXXX, você pode vender, trocar ou até mesmo doar nossa moeda. Além de poder fazer parte da rede minerando.
2.Sobre o sistema.
Sistema de Saúde descentralizado. Gerenciamento de consultas pela vida toda. Prova segura de informações. Ativo p2p. Minerável. ⛏
Um sistema que permite vantagens a todos os usuários trazendo como benefício todas as informações mantidas sob tecnologia blockchain. Os usuários terão como benefício todas as suas informações em poucos cliques. Além de poder fazer parte da rede minerando as transações, reavendo seu prof-of-work (prova de trabalho) o qual poderá ser utilizado como pagamento em suas consultas ou compras de medicamentos.
Nós definimos um ativo(moeda) eletrônico como o pagamento de uma chave(consulta) eletrônica. A instituição ou médico gera chave que se confirmada o pagamento salva na rede um novo hash contendo as informações da consulta(chave). O médico por sua vez ao finalizar seu atendimento trazendo as informações como prontuário, receita médica ou até mesmo atestado confirma o hash da consulta que será validada pela chave inicial do agendamento fornecida pelo usuário (paciente). Pós sua vez ao concluir todo o ciclo criado pelo processo seguro se todas as etapas de comprovação forem aprovada, só então a rede receberá um novo arquivo a ser registrado no cadeia blockchain, gerando uma transação dentro de um bloco.
Figura 1 Diagrama de pontes
A chave da consulta é solicitada pelo usuário via plataforma a instituição fará o registro do agendamento em formato chave de consulta Hash trazendo as informações sobre valores data e hora em que houver encaixe com a agenda do médico as informações ficarão registradas no chave da consulta. Figura 2 Diagrama de ponte P2P
Nesse processo o usuário faz contato direto com o médico ou solicitado o qual também terá permissão para criação de chaves de agendamento.
Figura 3 sequência de passos
Todo processo inicia com uma solicitação de uma nova consulta HASH, seja ela feita pela instituição ou pelo próprio usuário.
Figura 4 sequência de passos. Nessa etapa a instituição solicita ao médico sua cave para ser inserido como na chave hash da consulta.
Figura 5 sequência de passos
A instituição então retorna ao cliente as informações referente a consulta com detalhes sobre valor e informações do médico.
Figura 6 sequência de passos
Nessa etapa o cliente realiza pagamento e confirma o primeiro passo.
Figura 7 sequência de passos
Após realizar pagamento o cliente/paciente deve ser atendido pelo médico o qual deverá inserir um arquivo PDF contendo as informações da consulta validando o último passo registrando o hash.
Figura 8 sequência de passos
Após confirmar as duas etapas principais o hash pode ser inserido e registrado no livro razão como uma transação válida o qual ficará gravada sem que haja alterações.
Figura 9 sequência de passos
Para consultar as informações registrada é necessário ter a chave de acesso de determinado bloco onde o hash foi inserido.
2.1 Sobre a plataforma A plataforma com uma interface limpa trará aos usuários todos os registos solicitados, sendo histórico do paciente, histórico de atendimento do médico, e histórico de transações e agendamentos das instituições.
❍ Paciente: Permite visualizar seu histórico de consultas, abrir seus agendamentos futuros ou até mesmo agendar uma nova consulta.
❏ Médico: Permite visualizar todo histórico dos pacientes, desde que tenha a chave do paciente ou a chave da consulta.
⛨ Instituições: Permite visualizar todo o histórico dos paciente e dos médicos cadastrados em sua instituição.
3.0 Implementação sistema
A implementação do sistema depende de uma rede blockchain em andamento para que ao se inscrever na nossa plataforma o sistema gere as chaves e suas permissões.
❍ Paciente: Public key - Private key ex: 18pJYCmJwpNqmwjJXXH4SJiJndPoeYTnX4 / 156jkr5ALgiMRgjKq8tBogc1BRTnR3UkqQ
❏ Médico: Public key - Private key ex: 1FyP85EtujLnBu3knn7C7V5zk8viwcupmx / 3QKsH9bddUoi5CeAwkyFcPiCfJ5hbeWRmL
⛨ Instituições: Public key - Private key ex: 3CELAf6AiZ6TLeJ1ccxtxKU9q4ELbYLHvQ / 3JQ9sabS2UNS91qzDLYvuFmUUyJFarJHws
A. Análise das Limitações do Sistema Blockchain Esses sistemas têm limitações em que a máquina virtual não tem inspeção direta além da internet, exceto através do uso de serviços de oráculos. Adicionalmente, as limitações de armazenamento da blockchain são aplicadas pelo custo de gás para armazenar e pelo custo de gás para acessar estes dados. A partir disso, o tempo do bloco estabelece um limite mínimo para solicitações de modificação do estado de pelo menos quinze segundos. A limitação da blockchain para a hospedar informação privada pode ser superada através do obscurecimento dos dados, como a criptografia, mas no caso da chave de descriptografia já ter sido vazada, não há maneira de remover os próprios dados confidenciais da blockchain.
B. Objetivos de implementação para usabilidade e segurança Os principais objetivos de qualquer sistema seguro podem ser resumidos como os objetivos de confidencialidade, integridade, disponibilidade, responsabilidade e garantia de identidade/informação. Para acomodar esses objetivos, um invasor e usuário devem ser definidos. Cada um desses papéis exige certos reconhecimentos de capacidade. Do ponto de vista do usuário, o sistema precisa ser suficientemente transparente para que nenhum conhecimento avançado seja necessário. Além disso, devido à incapacidade do usuário normal de compreender as considerações complexas de segurança cibernética, o processo precisa ser resistente às ações do usuário.
C. Definição de Hardware e Implementação da Rede Para acomodar os objetivos de projeto acima mencionados, a implementação do sistema selecionado requer vários sistemas independentes. Cada sistema subdivide a autoridade, assegura que somente as entidades autorizadas possam interagir de forma aprovada e oferece um mecanismo para aumentar a segurança e manter a disponibilidade. Este sistema também foi concebido de tal modo que o escalonamento pode ser facilmente realizado através da adição de esquemas de chamada hierárquicos. Estes sistemas são completamente descritos em detalhe abaixo. A entidade que enfrenta o público é um Servidor de Chamada de Procedimento Remoto (Remote Procedure Call - RPC) que atua como uma interface para uma implementação privada da Blockchain da Ethereum (permissão blockchain). Esta rede de nós da blockchain, só está autorizada a interagir com os outros nós da blockchain, uma entidade de chave autoral, uma instalação de armazenamento compatível com a CP e o Servidor de RPC. A entidade de criação da chave é o recurso que gera pares de chaves públicas/privadas para uso na blockchain. A instalação do armazenamento compatível com a CP hospeda os dados reais que constituem informações eletrônicas privadas de saúde. Quando uma solicitação de dados ocorre, o sistema compatível com a CP pode ser autorizado a falar com o agente de encaminhamento, que re-roteia os dados de volta para o servidor de RPC. Alternativamente, ele pode ser estruturado de modo que o armazenamento da CP fale diretamente com o servidor de RPC. Cada implementação tem benefícios que devem ser considerados antes da seleção final. Em quaisquer casos, a instalação de armazenamento da CP descriptografa as porções relevantes da base de dados após a manuseio da solicitação. Esta informação codificada é então recodificada utilizando a chave pública da parte solicitante para a transmissão. Esta chave pública é também a chave pública do contrato que atua como a interface de controle da blockchain para os dados da. O que se segue é um diagrama da topologia da rede.
E. Definição da Implementação do Software Além do isolamento físico de sistemas na implementação de hardware e rede, o controle de acesso do software facilita a integridade dos dados e a verificação da autorização para entidades solicitantes. O sistema do software, a partir da perspectiva do controle de acesso e da criptografia de dados, é descrito a seguir:
Figura 3: Topografia da rede blockchain
O banco de dados compatível com a CP aceitará apenas conexões de entrada do expedidor da CP. Isso garante que o fluxo de tráfego seja isolado para caminhos conhecidos controlados. O expedidor da CP agirá apenas para encaminhar uma solicitação para a instalação de armazenamento da CP enquanto uma transação válida ocorreu na blockchain e essa transação resultou na emissão de um evento solicitante. Este evento solicitante precisa conter a chave pública do solicitante e os campos de dados solicitados. Finalmente, o servidor de RPC usa uma Interface de Programa de Aplicativo (API) controlada por acesso, de modo que somente usuários conhecidos possam interagir com o servidor. Para entender a hierarquia de chamadas do sistema, a estrutura do contrato para facilitar o controle do acesso deve ser abordada antes. Cada usuário no sistema faz um mapa para um endereço privado na blockchain privada. Todos os endereços privados só estão autorizados a falar directamente com um contrato na blockchain. Este contrato é o contrato de classe do indivíduo. Instituições, médicos da instituição e clientes são objetos de nível de classe.
3.1 Permissões de acesso. Esses objetos de nível de classe são interfaces com permissão. O Contrato de Instituição tem uma lista de todos os clientes que concederam privilégios de visualização à instituição e cada contrato de cliente tem uma lista de todas as instituições às quais concedeu permissão. O contrato da instituição possui funções que facilitam a revogação de permissões para a instituição, a partir do usuário. O contrato institucional não pode alterar esta lista, impedindo assim o acesso não autorizado a registros individuais. Além disso, o Contrato de Instituição possui uma lista de empregados autorizados que é totalmente capaz de manter. Este esquema de permissão idealmente deveria funcionar de modo que a revogação automática de uma permissão seja realizada em intervalos semi-regulares para evitar que uma instituição inadvertidamente preserve os direitos de acesso de ex-funcionários. Dentro deste sistema, todas as partes externas interagem através da submissão de transações assinadas que codificam a chamada solicitante. Essas transações são enviadas através do servidor de RPC após a validação do usuário. O servidor de RPC envia essas solicitações para o servidor de agregação de dados que, em seguida, encaminha essas solicitações para os mineiros com base em um mecanismo de compartilhamento de carga. Os mineiros, em seguida, processar o pedido, submetendo a transação em nome do autor da chamada para o contrato de controle da parte respectiva. Este contrato contém as permissões dos dados que a entidade está autorizada a acessar internamente no contrato. Este contrato é a única entidade que aceitará uma transação de um pedido externo. Deste modo, é estabelecido um mecanismo para controlar completamente as operações de chamada na blockchain. Para qualquer transação, é criado um registro imutável do autor da chamada. Isso garante que todas as tentativas de acesso a informações sejam registradas. Os dados reais armazenados dentro do contrato de usuário é um sistema de indicadores de hash que quando resolvido pelo servidor de armazenamento da CP resultam no retorno dos dados apropriados. Essas informações são borbulhadas até o remetente da CP pela execução de uma transação de solicitação válida. O mecanismo que facilita essa comunicação é indireto e se manifesta através do sistema de mensagens da blockchain. Devido à limitação de que o solicitante só pode consultar o banco de dados por uma transação válida, e o usuário não pode alterar diretamente suas próprias informações, controle de acesso é justificado. Do ponto de vista das instituições, os mecanismos são semelhantes, exceto o contrato de instituição que hospeda uma lista de usuários de quem pode solicitar dados e uma lista de usuários que podem interagir com esta instituição como funcionários. Quando uma transação de solicitação se origina no contrato de um funcionário da instituição, o contrato de controle chama o contrato da instituição, que chama o contrato do usuário para solicitar os indicadores de dados que resolvem o ePHI. Enquanto a instituição estiver na lista de instituições aprovadas para o usuário, o contrato retornará os indicadores de hash apropriados. Estes indicadores são então publicados como uma mensagem de evento que novamente borbulha até a instalação de armazenamento da CP. Para maior clareza, o processo completo de uma única solicitação é o seguinte: A parte externa solicita dados do serviço chamando o servidor de RPC com uma transação criptograficamente assinada para a submissão para a blockchain. O servidor de RPC verifica a identidade da parte externa através da assinatura de uma solicitação de login. Enquanto a assinatura corresponder a uma entrada no banco de dados de chaves públicas autorizadas, o servidor de RPC aceita a solicitação e envia a solicitação a Máquina de Agregação de Dados (Data Aggregate Machine). A Máquina de Agregação de Dados então submete os pedidos aos verificadores privados da blockchain. Os verificadores recebem o pedido como uma chamada de uma conta da blockchain contra um contrato de destino. Os verificadores executam essa chamada e, no caso de a solicitação ser uma ação permitida, a transação é inserida no bloco seguinte. Esta transação também provoca a emissão de uma mensagem de evento na blockchain. Essa mensagem de evento é observada pelo expedidor da CP, que atua para criar uma solicitação criptografada contra o armazenamento da CP com base nos hashes da mensagem de evento. Essa mensagem também contém a chave pública do solicitante. O sistema de banco de dados compatível com a CP observa esse pedido e transmite uma cópia criptografada das informações para o servidor de CP usando a chave pública do solicitante. O servidor de RPC retorna essas informações para a parte solicitante remapeando o IP solicitante para a chave pública na mensagem. O servidor de CP transmite essa mensagem sem nunca ter visto os dados subjacentes. Esses dados são imediatamente destruídos pelo servidor de RPC, garantindo assim que o servidor CP atue como um canal que não precisa ser compatível com a CP. O mecanismo para publicar os dados é novamente de natureza semelhante, porém os dados a serem enviados são criptografados com a chave pública da instalação de armazenamento da CP. As outras operações são idênticas, exceto os dados que estão sendo postados que borbulham através do sistema de mensagem de evento. Assim, devido ao uso de funções de hashing de colisão baixa e de nonces com carimbos de data/hora, os dados podem ser armazenados com o contrato sendo capaz de computar o endereço em que os dados submetidos estão localizados dentro da instalação de armazenamento da CP. Finalmente, a distribuição de chaves privadas para entidades deve ser tratada. Isto pode ser facilitado através de meios ópticos para os utilizadores de smartphones. Isto é análogo ao uso de códigos QR como endereços para endereços na Ethereum. Meios alternativos também podem ser estabelecidos usando aplicativos em computadores de mesa e dispositivos tablet/smartphone. A perda de uma chave não é um evento catastrófico, devido à capacidade de remover administrativamente o controle do acesso de um contrato de controle de uma chave e conceder outra.
3.3 Interoperabilidade Os sistemas de BC são baseados em uma arquitetura de validação de credenciais isolada na qual os dados das instituições serão separados em cada um dos sistemas. No entanto, o acesso das informações da principal organização do Provedor às outras organizações é apenas via capacidade limitada em instâncias casos como Ler, Propor, Enviar ou Notificar. Além disso, o Paciente tem muito pouca interação ou envolvimento nessa troca de informações além de visualizar seu histórico. Qualquer erro relacionado com a comunicação incorreta ou errada é muito difícil de corrigir. Uma vez que uma blockchain e seus contratos inteligentes são configurados, os parâmetros tornam-se absolutos. O paciente torna-se o principal intermediário no envio e recebimento de informações de saúde negando a necessidade de atualizações freqüentes e solução de problemas de qualquer software. Como os registros da blockchain também são imutáveis e armazenados por todos os usuários participantes, as contingências de recuperação são desnecessárias. Além disso, a estrutura de informação transparente da blockchain poderia abolir muitos pontos de integração de troca de dados e atividades de relatório demoradas.
3.4 Processo e Escalabilidade Os usuários estão no controle de todas as suas informações e transferências, o que garante dados de alta qualidade, completos, consistentes, pontuais, precisos e amplamente disponíveis, tornando-os duráveis e confiáveis. Devido à base de dados descentralizada, a blockchain não tem um ponto central de falha e é mais capaz de suportar ataques maliciosos. Em qualquer rede de cuidados de saúde é necessário garantir que os participantes que estão trabalhando em conjunto podem depender uns dos outros para fornecer os serviços necessários que se espera deles. Para isso, deve haver um meio de assegurar a prestação de contas de tarefas e serviços esperados sejam entregues em tempo hábil e também a responsabilidade associada caso não forem entregues em tempo hábil ao nível de qualidade esperado. Assim, qualquer infra-estrutura de cuidados de saúde tem que ter a competência de perfeitamente ser capaz de monitorar as informações necessárias para permitir que o principal provedor de cuidados avalie a sua rede de cuidados. Além disso, à medida que a rede de cuidados de saúde cresce e essa interação entre as redes de provedores de cuidados aumenta a infraestrutura dos cuidados de saúde deve ser capaz de abordar esta escala de forma eficaz. O aspecto chave para a construção de um sistema de Gerenciamento de Cuidados 12 altamente escalável e distribuído é um quadro arquitetônico peer-to-peer. Essa estrutura já foi usada em vários segmentos da indústria como mídia, esportes, mercado imobiliário, cadeia de suprimentos e outros, a blockchain pode ser facilmente um conector de software complementar para frameworks centralizados existentes. Isto nos levou a explorar a utilização do framework da blockchain para a sua aplicabilidade para ajudar a permitir uma estrutura peer-to-peer para os cuidados de saúde. A Blockchain tem a promessa de validar duas ou mais entidades envolvidas em uma "transação de saúde". Isso fornece dois atributos-chave em comparação com um modelo de autenticação centralizada. A primeira é que as partes interessadas podem se envolver em um "nível de transação" de "relação de confiança". A segunda é que a exposição da obrigação em tal relação é limitada apenas ao envolvimento de "nível de transação". Isso é muito útil, pois limita o acesso de informações e responsabilidades entre as partes envolvidas e, ao mesmo tempo, permite que uma parte entre em uma relação de transação com um número de outros provedores com base em suas capacidades específicas e tipo de atendimento a ser entregue ao paciente. Isto é significativamente melhor do que os sistemas centralizados convencionais que têm a necessidade de limitar o número de provedores para uma ampla gama de necessidades de pacientes devido ao esforço necessário para gerenciar o acesso e as obrigações.
3.5 Troca de Informação sobre Saúde e Tokens Para o Brasil se afastem com sucesso do modelo de taxa por serviços burocráticos para o atual modelo baseado em valores, tem que haver uma infraestrutura de TI de saúde que permita às organizações vincular qualidade, valor e eficácia de intervenções médicas através de um modelo de remuneração respeitável. A compensação irá se basear na eficácia da rede dos provedores de serviços em conjunto para garantir a melhoria da qualidade dos cuidados e bem-estar e, ao mesmo tempo, reduzir os custos de cuidados associados. Para incentivar verdadeiramente os diferentes participantes na rede a criar proativamente melhores regimes de assistência, uma compensação baseada no mérito de economias compartilhadas (reembolsos) entra em vigor. A fim de alocar efetivamente uma parte proporcional ao provedor na rede que mais contribuiu para a economia global, um monitoramento claro de sua contribuição é mensuravelmente executado por contratos inteligentes na rede da blockchain. Outro impacto-chave do novo paradigma de saúde é o modelo de compensação onde os provedores são elegíveis para receber compensação adicional além do cuidado prestado. Esta compensação é o resultado de economias que são geradas com base na forma de quanto os provedores gerenciam os resultados dos cuidados do paciente (incentivos). Qualquer economia gerada através de uma gestão eficiente do cuidado do paciente pode ser mantida pelos provedores e seus parceiros de rede como parte do aspecto de economia compartilhada do novo paradigma de saúde.
Nossa proposta dá a capacidade dos pagadores de transferir tokens como incentivos para os provedores que alcançam essas métricas de qualidade. A capacidade de acompanhar e gerenciar contratos inteligentes em que os benefícios podem ser resgatados com facilidade, fornecendo a qualidade necessária para provedores e pacientes participarem ativamente de uma colaboração recíproca. Contrariamente, se um ou mais participantes falharem, penalidades apropriadas por meio de obrigações também podem ser cobradas com a mesma facilidade. Esta aproximação da qualidade/bem estar fornecerá o impulso necessário que é preciso para deslocar a indústria de cuidados médicos de uma mentalidade da gerência da doença a uma mentalidade de estilo de vida bem-estar. Daí em diante, tokens emitidas pela XXXX (XXX), vão ser o token nativo da plataforma da XXXXX. Em troca de tokens XXX, os usuários serão capazes de usar a rede para alugar espaço de armazenamento de informações de saúde, e para executar pagamentos e transações nos contratos inteligentes de saúde. Acreditamos firmemente que usar um token seja o melhor sistema de pagamento para suportar esta infra-estrutura no futuro próximo. O futuro é um ecossistema vibrante de muitos tokens, para os quais a saúde precisará de um sistema de pagamento em ciclo fechado. O resultado será um ciclo de feedback positivo do círculo de gerenciamento de cuidado eficiente com diminuições significativas em bilhões de dólares atualmente atribuídos à fraude de pagamento de saúde. O sistema também incentiva as grandes organizações com amplo armazenamento de servidores a trocar tokens com organizações de saúde de pequeno e médio porte que precisam de acesso direto à rede de saúde da blockchain sem a implementação direta de um nó. No entanto, as novas políticas de saúde fornecem o potencial para incentivar os provedores a trabalharem juntos para melhorar as vias de atendimento, as atuais arquiteturas de EHR ficam aquém desta habilidade, assim, a simples concessão ou recebimento de tokens facilita esse processo. Portanto, o valor dos tokens está vinculado ao volume de transações executadas na rede. À medida que a rede XXXXX aumentar consistentemente as transações de tokens, a demanda por token aumenta, resultando em aumento de valor.
Distribuição
Referências:
http://www.businessinsider.com/ripple-progresses-blockchain-tech-high-profile-partners-2017-7
http://joseguilhermelopes.com.bblockchain-e-a-ciencia-de-dados/
https://www.forbes.com/sites/danmunro/2015/12/31/data-breaches-in-healthcare-total-over-112-million-records-in-2015/#6fdc12237b07
https://www.ventureradar.com/
https://www.chainalysis.com/
https://www.bloq.com/
submitted by bt22coin to u/bt22coin [link] [comments]


2016.11.04 21:26 BatmanHimself [DISCUSSÃO] Você teria um relacionamento com uma pessoa de opinião política oposta à sua?

Digamos que você gosta de alguém ao ponto de considerar ter um relacionamento com essa pessoa, e então descobre que vocês têm posições políticas diferentes (por exemplo, você grita fora temer e ela bolsonaro 2018, ou então o contrário).
O que você faria? Deixaria a diferença de lado e investiria? Ou não seria compatível?
meu cachorro quer saber
Obs: favor não iniciar treta, vamos nos manter no assunto <3
submitted by BatmanHimself to brasil [link] [comments]